Melhoram as provas de detecção do câncer cervical

José Ángel Marrero-García, MD , para Especial Bem-Estar Total *

Existe um novo e melhor teste de triagem para câncer do colo do útero e doenças sexualmente transmissíveis. Esta é a citologia de base líquida.

Todos os dias encontro mulheres no consultório que me pedem “triagem” e testes de transmissão sexual. Várias doenças sexualmente transmissíveis – particularmente o Papilomavírus Humano – podem permanecer no corpo de uma pessoa por anos. Essas doenças ainda são contagiosas mesmo depois de muitos anos desde que você teve a relação sexual que transmitiu o vírus. A maioria das pessoas infectadas não sabe que está infectada ou que está transmitindo o vírus ao seu parceiro sexual atual. Por isso, é importante que as mulheres sejam submetidas periodicamente a exames de “triagem” e detecção não só do câncer do colo do útero, mas também dessas outras doenças.

O exame de Papanicolau à base líquida não apenas detecta câncer cervical precoce, mas também ajuda a detectar outras doenças, incluindo a presença do Vírus do Papiloma Humano (HPV). O HPV é a principal causa do câncer do colo do útero, que é o segundo câncer mais comum em mulheres. É considerada a infecção sexualmente transmissível mais comum na maioria das populações em todo o mundo. Recomendamos exames de Papanicolau anuais para todas as mulheres a partir dos 21 anos – ou assim que você for sexualmente ativa – até os 65 anos.

A citologia de base líquida é realizada por um profissional de saúde, que introduz os utensílios para a coleta da amostra por via vaginal. A diferença é o que é feito com a amostra. No estudo convencional é aplicado a uma lâmina, na citologia de base líquida a amostra é aplicada em um recipiente com meio líquido e enviada para um centro de patologia. O teste convencional apenas permite ao médico saber se há inflamação, presença de células anormais ou câncer, mas não identifica doenças sexualmente transmissíveis.

Durante anos, foram feitos esforços para aumentar a especificidade e a sensibilidade do exame. Procurou-se também padronizar a amostragem e reduzir erros no manuseio da amostra coletada. O meio líquido supera a fixação das lâminas porque toda a amostra é levada diretamente ao laboratório e o maior número de células é avaliado, obtendo-se os melhores resultados. O benefício adicional é que permite fazer análises adicionais que a amostra convencional na lâmina não permite.

A citologia à base de líquido não apenas detecta células anormais ou câncer, mas também identifica a infecção vaginal e o agente causador. Ele as identifica com maior probabilidade do que a triagem convencional de DST. Segundo a FDA, a detecção de doenças sexualmente transmissíveis como clamídia, gonorreia e tricomonas é de 64,4%.

A citologia vaginal líquida —além de ser um estudo mais específico para infecção vaginal bacteriana e fúngica— pode identificar a maioria dos genótipos de alto risco do Papiloma Vírus Humano (HPV) presentes no colo do útero da mulher que podem causar alterações nas células ao câncer. Outra vantagem da citologia líquida é que você pode testar o HPV na região anal, outra área onde o HPV pode causar câncer.

* O autor é graduado pela Escola de Medicina San Juan Bautista. Tem consultório particular no CDT Marrero, Arecibo Gardens (787-878-5534).

O artigo original pode ser visto em El Vocero.

Deixe um comentário